A Missão

Missionária atuará no Projeto de Ação Missionária e Cooperação Intereclesial na Diocese de Pemba, na República de Moçambique – Continente Africano.

Por Comunidade São Maximiliano Kolbe dia em NOTÍCIAS

A Missão
  • Compartilhe com seus amigos
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter

Deus em sua imensa misericórdia e amor, não encontra barreiras para nos amar, nós, porém, muitas vezes rejeitamos esse amor nos isolando e fechando-nos aos nossos próprios interesses. Por isso que peço ao Senhor sempre a graça de encontrar no rosto de cada irmão o rosto do próprio Deus, de poder tocar a carne sofredora de Cristo, tocando a carne de cada irmão marginalizado, esquecido, abandonado. Sou grata a Deus pelo seu amor generoso, que mesmo diante da minha fraqueza convida a grande alegria de ser anunciadora de sua boa-nova, assim como convida a cada um de vocês.

O intercâmbio que a missão oferece é enriquecedor. A transformação que sofremos no encontro com o outro e a mão amiga do missionário que se estende a quem clama por amor, faz com que como irmãos construamos o Reino de Deus que começa aqui. É salutar e urgente uma opção preferencial pelos pobres, filhos queridos do Senhor.

É preciso compreender que a missão não se trata de uma iniciativa própria, mas sim da ação do Espírito Santo. Na exortação apostólica Evangelii Gaudium Papa Francisco nos alerta: “Embora esta missão nos exija entrega generosa, seria um erro considerá-la uma heroica tarefa pessoal, dado que ela é primeiramente e acima de tudo o que possamos sondar e compreender, obra de Deus, Jesus é o primeiro e o maior evangelizador”. Por isso precisamos superar todos os dias a autorreferencialidade e sermos verdadeiros discípulos de Nosso Senhor Jesus, confiantes de seu exemplo de amor profundo. A missão não é privilégio de alguns, mas dever de todo cristão. Todos nós somos convocados a sermos missionários em nossa família, trabalho, comunidade e qualquer lugar que estivermos. A caminhada cristã é intrinsecamente missionária. A missão não se trata de uma pastoral ou um braço da Igreja, mas sim de sua própria essência, por isso, o apelo contínuo do papa para uma Igreja em saída.

Para mim, atender a esse chamado, não se trata de assumir um fardo pesado, nem tampouco de perder as “oportunidades” que o mundo propõe.  Trata-se, contudo, de um grande presente. O que dá sentido à vida não é a quantidade de coisas que acumulamos ou a posição social que ocupamos, mas sim o amor que doamos. Eu vou, vou porque coloco minhas esperanças no Senhor, porque dele vêm todo o bem e é dele a coragem e a força que preciso para seguir e mais uma vez vou parafrasear o querido Papa Francisco: “Na doação a vida se fortalece, e se enfraquece no comodismo e no isolamento. De fato, os que mais desfrutam da vida são os que deixam a segurança da margem e se apaixonam por comunicar a vida aos demais.”

Agradeço cada um que ao longo da vida me ajudou no meu discernimento, que me ensinou a valorizar o que é realmente digno de valor. De modo especial agradeço minha família, por toda a educação que recebi, por toda paciência e dedicação. Agradeço também a toda comunidade, por ter me proporcionado tantos momentos de alegria, de reflexão, essa comunidade é sem dúvidas minha família de coração, agradeço aos freis, pelos quais tenho grande consideração, de modo especial Frei Vasco pelo seu exemplo, pela escuta e por toda ajuda, frei Thiago por toda paciência e apoio. Agradeço a tantos amigos queridos que aqui estão hoje, sou muito grata pela presença de cada um de vocês em minha vida. E a todos irmãos e irmãs que fazem parte da minha história, muito obrigada!

 

Fernanda de Cássia Leal – Leiga Missionária

  • Compartilhe com seus amigos
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter

Deixe seu comentário aqui: