Nossa História (Tombo da Rede de Comunidades São Maximiliano Kolbe)

Conheça a história cronológica da nossa Comunidade e de São Maximiliano Kolbe

Por Comunidade São Maximiliano Kolbe dia em ASSUNTOS GERAIS

Nossa História (Tombo da Rede de Comunidades São Maximiliano Kolbe)
  • Compartilhe com seus amigos
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter

Conheça a história Cronológica:

 

1937 – No dia 14 de agosto Frei Martinho Friese, OFM, batizou 30 crianças japonesas na escola de Vila Moraes e, no dia quinze, 68 na escola de Cocuera, catequizadas pelo Sr. Kandaifu Nakashima.


1938 – Frei Martinho fundou o Instituto Secular das Catequistas Missionárias de São Francisco de Assis.


1939 – Pe. Chohachi Nakamura passou por Suzano visitando as famílias Nagatani, Tanaka e Shigaki.
 

1940 – Frei Bonifácio, OFM e a Irmã Isabel Ikai começaram a trabalhar na região de Mogi das Cruzes. Irmã Isabel permaneceu até 1956.
 

1947 – No dia 21 de agosto o Pe. Hugo Lassar passou por Mogi e fez uma conferência sobre “Japão pós-guerra e comportamento dos japoneses no Brasil”. A conferência foi realizada no Cine Odeon com a presença de 500 participantes.
 

1950 – no dia 12 de fevereiro, Frei Bonifácio, OFM, batizou 17 japoneses adultos que foram catequizados pelo Frei Miguel Tagomori e Irmã Isabel Ikai. Nessa época Frei Bonifácio começou a celebrar a missa em Suzano na residência da família Namiuti.
 

1951 – O carmelita Frei Marcos iniciou o movimento dos jovens católicos japoneses na igreja do Carmo. No dia 04 de março teve início a Seibo Fujinkai (associação de senhoras japonesas católicas) sob orientação do Frei Martinho e de Margarida Watanabe.
 

1952 – No dia 25 de maio esteve nos visitando Monsenhor Haguihara, da Diocese de Hiroshima. Na oportunidade, proferiu palestra sob o título “Atual Situação do Japão e da Europa”.
 

1955 – No dia 23 de junho Pe. Momota Kawasaki chegou a Mogi. Seu trabalho junto à missão católica japonesa se estendeu por 2 anos. No dia 07 de julho passou por aqui também o Pe. Tetsuji Sasaki, do Japão, que nos apresentou reportagem filmada de sua obra para os meninos órfãos do pós-guerra. No dia 20 de agosto recebemos a primeira visita de um bispo Japonês: Dom Tomas Wakida.
 

1956 – O movimento dos jovens japoneses passou a se chamar: “Círculo Católico Estrela da Manhã”.
 

1957 – Irmã Catarina Hirata chegou a Mogi para trabalhar na missão e aqui ficou 9 anos.
 

1961 – No mês de junho, 20 japoneses adultos, catequizados pela Irmã Catarina Hirata, foram batizados pelo Frei Martinho. A partir dessa data passou a haver batismos periodicamente.
1962 – No dia 30 de setembro foi realizado o primeiro dia de retiro espiritual da comunidade, dirigido por Pe. Inácio Takeuchi, com a presença de 58 participantes. A partir deste, o dia anual de espiritualidade da comunidade virou tradição e tem sido realizado todos os anos. Citamos alguns pregadores: Padres Miguel Hirata, Hisatsugu, Iwao, Gabriel Iamaguti, os Freis Alécio Broering, Leonardo Matsuo, Estevão Yamagashira, Domingos, Arnaldo Tanimura, Dom Jun Ikenaga, Dom Rafael Umemura etc.

1963 – No dia 23 de março os Freis Leonardo Matsuo e Estevão Yamagashira chegaram ao Brasil. Frei Leonardo passou a residir em Santo André (SP) e Frei Estevão em Guaira (PR).

1965 – Em julho Pe. Mac Donald chegou dos Estados Unidos para trabalhar na missão japonesa e permaneceu 3 anos. Neste mesmo ano Irmã Paula Yoshimura iniciou uma escola dominical no Salão da Cooperativa Sul Brasil.


1966 – No dia 2 de setembro, a comunidade católica nipo-brasileira de Mogi recebe autorização de D. Paulo Rolim Loureiro para edificar sua sede provisória no terreno da diocese contíguo a igreja Bom Jesus. Nesse terreno, no ano seguinte, no dia 02 de abril foi inaugurada a casa das Irmãs Catequistas com solene bênção do Bispo D. Paulo. Marcaram presença também o Frei Martinho Friese e Pe. Mac Donald. As primeiras irmãs a morar nessa casa foram Adolfina Honda e Francisca Yumoto. A escola dominical foi transferida para este local e logo se tornou Jardim da Infância.

1968 – No dia 17 de novembro, com a bênção do Bispo D. Paulo R. Loureiro, foi inaugurada a sede da comunidade. Por essa época Frei Estevão Yamagashira começou a trabalhar na comunidade residindo temporariamente na catedral.

1969 – No dia 07 de março, a comunidade passou a contar com um conselho representativo dos leigos batizado de Conselho de Leigos Católicos Nipo-brasileiro. No dia 2 de agosto, recebemos a visita de Frei Samuel Fukahori, do Japão.

1970 – No dia 23 de abril, a Ordem dos Frades Menores Conventuais adquiriu um terreno na Vila Lavínia com objetivo de construir o centro da missão japonesa. Aconteceu, também neste ano, a primeira romaria nipo-brasileira em nível nacional a Aparecida. Teve início também neste ano o trabalho missionário na comunidade de Biritiba Mirim.

1971 – No dia 19 de dezembro foi inaugurada a residência dos freis franciscanos conventuais com a bênção do Bispo Diocesano D. Paulo Rolim Loureiro. Os Freis Leonardo Matsuo, Estevão Yamagashira e Pacífico Yamauchi passaram a residir nesse convento.

1972 – No dia 03 de agosto recebemos a visita do Bispo Auxiliar de Tókio, Dom Hamao.

1973 – No dia 12 de julho esteve nos visitando o Provincial da OFM Conv. do Japão, Frei Gabriel Hashiguchi.

1974 – No dia 28 de julho foi inaugurado o jardim da infância “Seibo Yotien” nas proximidades do convento.

1975 – No dia 2 de agosto faleceu D. Paulo Rolim Loureiro em acidente automobilístico.

1976 – No dia 5 de maio, foi nomeado o segundo Bispo Diocesano Dom Emílio Pingnoli. Neste ano ainda houve a inauguração da Sacabim (Sociedade dos Agricultores Católicos de Biritiba Mirim).

1977 – No dia 18 de junho, Dom Emílio Pignoli celebrou na catedral diocesana missa em comemoração aos 60 anos de imigração japonesa em Mogi das Cruzes

1978 – No mês de julho, Frei Arnaldo Tanimura chegou ao Brasil para trabalhar na missão de Mogi.

1979 – Teve início a assistência à comunidade japonesa de Jundiapeba.

1981 – No dia 24 de novembro a Ordem dos Frades Menores Conventuais adquiriu um terreno próximo ao convento para construção da igreja.

1986 – Em fevereiro iniciou construção do Ginásio de Esportes São Maximiliano Kolbe.

1988 – No dia 18 de junho comemorou-se os 80 anos de Imigração Japonesa no Brasil. Foi inaugurado o Ginásio de Esportes São Maximiliano Kolbe com missa celebrada pelo Bispo Auxiliar de Nagasaki (Japão), Dom Matsunaga. No mesmo espaço, em outubro, Dom Emílio Pignoli celebrou o crisma de vários jovens.

1990 – D. Paulo Mascarenhas Roxo se tornou terceiro bispo diocesano de Mogi das Cruzes. Neste mesmo ano veio trabalhar também na missão de Mogi as Irmãs da Congregação do Imaculado Coração de Maria Nagasaki: Rosa Tsukamoto, Lucia Tokumi.

1992 – No dia 17 de agosto, Frei Maurício Morimoto chegou a Mogi das Cruzes.

1992 – No dia 13 de novembro faleceu Frei Estevão Yamagashira.

1993 – No dia 29 de abril a Ordem dos Frades Menores Conventuais adquiriu outro pedaçode terreno contíguo à gleba destinada a construção da igreja. Em fevereiro do mesmo ano chegou do Japão Frei Pascoal Okawa e aqui trabalhou durante um ano. Neste ano veio trabalhar na missão de Mogi a Ir. Maria Matsunaga.

1994 – em agosto Frei Paulino Yamashita chegou do Japão para trabalhar na missão Japonesa de Mogi.


1995 – No dia 28 de agosto, com a Bênção do ministro provincial, Frei Bruno Manzoni, foi reinagurada a residência dos frades que passou por reforma e ampliação. Neste ano veio trabalhar na missão de Mogi a Ir. Mônica Shintate.

1996 – Do dia 29 de setembro a 6 de outubro a comunidade São Maximiliano Kolbe recebeu a primeira visita pastoral do Bispo Diocesano de Mogi das Cruzes, D. Paulo Mascarenhas Roxo.

1998 – No dia 15 de agosto houve a bênção da pedra fundamental da Igreja São Maximiliano Maria Kolbe e a ereção da paróquia pessoal homônima.

2000 – No mês de agosto recebemos a visita de Dom Rafael Umemura, Bispo de Okohama (Japão).

2002 – Em junho, pela primeira vez, foi preparado tapete artístico para a procissão de Corpus Christi (extensão 35 m). Em julho, o Bispo Diocesano de Mogi, Dom Paulo M. Roxo, pregou retiro para os agentes da visita missionária que foi realizada logo em seguida em todas as residências da futura paróquia. No fim do mês de julho recebemos visita de Dom Jun Ikenaga, Arcebispo de Osaka (Japão). No dia 14 de agosto foi erigida a Paróquia Territorial São Maximiliano Maria Kolbe.

2003 – No mês de junho, pela segunda vez, foram confeccionados tapetes artísticos na rua da igreja matriz no dia de Corpus Christi (extensão: 130 m).

2004 – Dia 14 de fevereiro, ordenação sacerdotal do Frei Alexandre Mogentale, na Igreja Senhor do Bonfim, em Santo André. No dia 22 de fevereiro deste ano, Frei Alexandre Mogentale, até então consagrado e colaborador nesta paróquia, é transferido para outra cidade, e deixa seus trabalhos nesta paróquia. E em seu lugar, vem para atuar, o Frei Dário Piana. Neste ano, aconteceu a 1ª Festa do Padroeiro São Maximiliano Maria Kolbe dos dias 31 de julho a 07 de setembro. O tema escolhido foi: “Sua presença é muito importante”. Fez parte das comemorações ao Santo, uma novena de missas celebradas nas residências de alguns paroquianos, um torneio esportivo com jovens e adultos, além das missas como parte da programação religiosa, presididas na Paróquia. No dia 19 de novembro, o Bispo Diocesano Airton José dos Santos, ministrou o sacramento da Crisma, a 20 jovens e adultos. Foi a 1ª celebração do Sacramento, após a dedicação da Igreja, em 17 de agosto de 2003. Em dezembro, deste ano, Frei Dário que até então, estava prestando serviços nesta igreja, é transferido, e em seu lugar, vem Frei André Luis Siqueira.

2005 – Em 17 de abril, é realizado a 1ª Tenda Franciscana na Paróquia São Maximiliano Kolbe. O evento direcionado principalmente para os jovens, teve como objetivo principal, levar há um maior aprofundamento da espiritualidade franciscana e o papel do jovem dentro da sociedade atual. Nos dias 21 e 22 de maio, é organizada uma exposição vocacional no subsolo da Igreja, enfocando as diversas vocações, como a vida consagrada, o sacerdócio e o matrimonio, e a importância de cada uma delas. No dia 31 de julho, dá-se inicio a 2ª Festa de São Maximiliano Kolbe, com uma carreata festiva pelos arredores da paróquia. E se encerra dia 07 de setembro com a gincana catequética. O tema escolhido para a Festa foi: “São Maximiliano Kolbe, integrando as comunidades”. Dia 20 de novembro, 42 jovens e adultos recebem o sacramento da Crisma na Paróquia São Maximiliano Kolbe.
2006 – Em 19 de fevereiro, às 19h, acontece a cerimônia de posse do novo pároco da Paróquia São Maximiliano Kolbe, Frei Nestor Marin, e do novo guardião do convento, Frei Rogério Xavier, com a presença de Dom Airton José dos Santos. Com isso, os Freis João Mamede Filho, até então vigário da Igreja e Frei André Luis Siqueira, consagrado e colaborador, deixam seus trabalhos nesta Igreja. No dia 1º de julho em Caçapava, acontece a Sagração Episcopal do Frei João Mamede Filho, que em fevereiro havia deixado nossa paróquia. Muitos paroquianos saem em caravana para participarem do evento religioso. Dos dias 30 de julho, dá-se inicio a 3ª Festa do Padroeiro São Maximiliano Kolbe, com a já tradicional carreata com a imagem de São Maximiliano Kolbe. O tema da festa foi: “A família quer ver Jesus: Caminho, Verdade e Vida”. No dia 20 de agosto, uma missa sertaneja animada pelos violeiros de Santo André, encerra a festa. Dia 10 de dezembro, Ordenação sacerdotal de Frei Dario Piana, em Guaraniaçú,PR. A Comunidade participou da ordenação dele.


2007 – No dia 20 de fevereiro, Dom José Maria Pinheiros, da Diocese de Bragança Paulista, que viveu na Amazônia por cerca de vinte anos, ministra uma formação, sobre a Campanha da Fraternidade, cujo temo foi: “Fraternidade e Amazônia”, e lema: “Vida e Missão neste Chão”. No dia 15 de abril, é lançada a Pedra Fundamental na Nova Igreja da Comunidade Nossa Senhora Rosa Mística. Cerca de 700 pessoas, participaram da solenidade. Dos dias 29 de julho à 14 de agosto, dia de São Maximiliano Kolbe, acontece a 4ª Festa do Padroeiro, com o tema: “Família: Ide e testemunhai a Boa Nova”.
2008 – No dia 15 de junho, dá-se início uma série de eventos em comemoração ao Centenário da Imigração Japonesa (18/06). Para isto, foi organizada uma exposição com artigos, fotos e objetos, que recordam toda a trajetória dos japoneses no Brasil, muitos desses, próprios da época. Também, é celebrada uma missa comemorativa, no dia 15 de junho com a presença de Dom Frei João Mamede Filho e Dom Berardo Oshikawa, vindo do Japão. No dia 18, dia em que se comemora o Centenário, Dom Airton José dos Santos preside Missa Solene, e Dom Paulo Mascarenhas Roxo, Frei Antonio Molisani Telles, ministro provincial, Frei Pacifico Yamauchi (do Japão), e outros sacerdotes, co-celebram. Dos dias 27 de julho a 14 de agosto, 5ª Festa do Padroeiro São Maximiliano Kolbe, com o tema: “Família: caminho para Jesus Cristo”. Ainda como parte das comemorações do centenário da imigração japonesa, em 03 de agosto, acontece a Romaria à Aparecida do Norte, que conta com a participação dos membros da PANIB, da Paróquia São Maximiliano Kolbe, e ainda 17 peregrinos vindos do Japão, que acolhemos em nossa Paróquia. Também recebemos Frei Damião Sakihama, vindo do Japão, para ser pregador de um retiro ministrado em língua japonesa. No dia 04 de outubro, dia de São Francisco de Assis, é delegado o ministério da Distribuição da Sagrada Eucaristia, a 23 novos ministros da Paróquia. Nos dias 22 e 23 de novembro, nossa paróquia parte em romaria à cidade de Promissão, próximo à Lins. O evento marca o término da programação organizada pela PANIB, para as comemorações do centenário da Imigração Japonesa ao Brasil. Dia 31 de dezembro, às 20:00 h finalizou o ano de 2008 com a missa de ação de graças e após a missa, houve brinde com champagne e fogo artificial.

  • Compartilhe com seus amigos
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter

Deixe seu comentário aqui: